terça-feira, 10 de março de 2015

Câmara Municipal de Criciúma homenageia aluna da rede municipal



 Nesta terça-feira (10/03), a Câmara Municipal de Criciúma homenageou a aluna Jéssica Sipriano de Freitas e a professora Eliane Teza Bortolotto, da EMEF Padre José Francisco Bertero, pela conquista das medalhas de bronze e de prata na IV Olimpíada de Língua Portuguesa.
Em 2014, em todo o Brasil, foram mais de cinco milhões de textos inscritos em quatro categorias: Poema, Memórias Literárias, Crônica e Artigos de opinião. “Esse evento acontece de dois em dois anos. Nós participamos desde o início, em 2008, sempre classificando um ou dois textos da nossa escola aqui na esfera municipal para representar Criciúma na etapa estadual. No ano passado foram classificados três textos da escola, sendo que a crônica passou para a etapa semifinal e com isso recebemos a medalha de bronze. Depois, em Porto Alegre, conseguimos a medalha de prata e chegamos a etapa final em Brasília onde concorríamos ao ouro. Foi um sucesso, um período de muitas experiências diferentes e motivo de muita alegria, mesmo não tendo conquistando a medalha dourada,” explica a professora Eliane.
  A moção de aplauso foi apresentada pelo vereador Vanderlei Zilli, que justificou: “A Jéssica ficou entre os 38 finalistas em uma seleção de 40.000, sendo a única finalista do Estado de Santa Catarina na categoria crônica. Essa foi a premiação mais alta da História de Criciúma em uma competição de tamanha importância. Parabenizamos a escola, os professores e a família por esse resultado.
Também participaram dessa homenagem os pais da aluna, José Paulo e Rosemery de Freitas, a diretora Vera Denoni Mendes e Ivana Beatriz dos Santos, coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação.
 

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

ELAS VOLTAM MAIS SONHADORAS E NÓS FICAMOS MAIS SONHADORES!

Em destaque, a mãe da aluna Jéssica e os pais da professora Eliane.
     Alunos, pais, professores, funcionários, coordenadoras educacionais e familiares da aluna Jéssica Sipriano de Freitas e da professora Eliane Teza Bortolotto, da EMEF Padre José Francisco Bertero, reuniram-se para assistir - via internet - a cerimônia de premiação da 4ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa - Escrevendo o Futuro. O evento ocorreu em Brasília (DF) e o grupo reuniu-se na ACIC, na tarde dessa quarta-feira (17/12).
     “Criciúma não recebeu a medalha de ouro, mas a conquista das inéditas medalhas de bronze e prata jamais serão esquecidas por nós, que desfrutamos de cada momento vivido por elas durante essa trajetória. Cada entrevista, cada reportagem, cada depoimento, as viagens, as medalhas, enfim, cada detalhe desse momento tão especial ficará na memória de nossas medalhistas e de todos nós. Vê-las finalistas de um evento desse porte, e com um texto tão brilhante, é algo inesquecível” comenta Edmara Teza da Silva, irmã da professora Eliane.
     O prefeito Márcio Búrigo foi ao local de cerimônia da premiação para parabenizar a aluna Jéssica.
“Eu não tinha ideia da grandiosidade dessa olimpíada antes dessas experiências. Ano que vem vou fazer um trabalho melhor ainda porque quero viver isso tudo outra vez.”
Frase da professora Eliane Teza Bortolotto, referindo-se ao processo de produção dos textos, comemoração dos resultados obtidos, entrevistas e reportagens realizadas, viagens, contato com pessoas de diversos lugares do Brasil, e aos sentimentos de alegria, ansiedade e expectativas gerados em diversos momentos.

“Vou continuar estudando em escola pública porque quero participar da próxima edição da Olimpíada de Língua Portuguesa.”
Frase da aluna Jéssica Sipriano de Freitas que cursará o Ensino Médio na Escola Padre Schuler, de Cocal do Sul.
  
    Aproveitamos o momento para fazer uma pequena homenagem aos alunos premiados com Menção Honrosa na Olimpíada de Matemática de 2014: João Vinícius, Pedro e Gabriela. 

     Agradecemos à Imobiliária Locativa por agendar esse espaço para nosso encontro. 

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

ALUNA DE CRICIÚMA PARTICIPA DE EVENTO EM BRASÍLIA E PODE CONQUISTAR MEDALHA DE OURO NA OLIMPIADA DE LÍNGUA PORTUGUESA

 A aluna Jéssica Sipriano de Freitas, da EMEF Padre José Francisco Bertero (Bairro São Simão – Criciúma), premiada com medalha de bronze e prata na 4ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, pode conquistar também a medalha de ouro, nesta quarta-feira (17/12) numa cerimônia em Brasília em que serão anunciados os vencedores nacionais.
A estudante está sendo acompanhada pelo pai José Paulo de Freitas, pela professora Eliane Teza Bortolotto, pela diretora Vera Lúcia Denoni e pela Secretaria de Educação Rose Reynaud Mayr. “Foi emocionante a acolhida dos alunos finalistas da Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa. Foram selecionados 152 dentre os 5 milhões de trabalhos inscritos na olimpíada. Vibramos muito com pessoas de todas as regiões brasileiras. Estamos aguardando com sentimento muito esperançoso”, comenta Rose.
A festa em que serão anunciados os vencedores nacionais da 4ª. edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro será transmitida, a partir das 16 horas, pelo site: https://www.escrevendoofuturo.org.br
http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/jornal-do-almoco/videos/t/criciuma/v/confira-o-quadro-vc-no-ja/3838056/
 CLIQUE NA IMAGEM PARA ASSISTIR

sábado, 13 de dezembro de 2014

ALUNA DA REDE MUNICIPAL DE CRICIÚMA É HOMENAGEADA PELA ACADEMIA CRICIUMENSE DE LETRAS‏

Eliane, Ivana, Rose, Jéssica, Rosemery e José Paulo
     Nesta sexta-feira (12/12), nas dependências do Criciúma Clube, a Academia Criciumense de Letras realizou uma Sessão Solene de encerramento das atividades do ano de 2014, com a premiação dos vencedores do XV Concurso Literário e o lançamento da 16ª Revista Acadêmica. O concurso objetiva estimular a produção literária no sul de Santa Catarina nos gêneros conto, crônica e poesia.
     A professora Eliane Teza Bortolotto e a aluna Jéssica Sipriano de Freitas da EMEF Padre José Francisco Bertero foram homenageadas pela conquista das medalhas de bronze e prata na IV Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro. “Estaremos em Brasília, no próximo dia 17, para acompanhar a cerimônia em que a Jéssica pode ainda receber medalha de ouro na categoria Crônicas. Tenho dito que ela é o exemplo de que alunos de escolas públicas tem sim, muito talento e capacidade de produzir textos de qualidade”, afirma Rose Margareth Reynaud Mayr, Secretária de Educação de Criciúma, também presente no evento.
     Toda semana a redação da Nova Escola e Gestão Escolar produz o Jornal da Educação. A manchete atual afirma que 25% dos alunos do 5º ao 9º sabem muito pouco de Língua Portuguesa. Os dados foram retirados da Prova Brasil e divulgados pelo Ministério da Educação. Isso significa que os alunos tem dificuldade de extrair informações simples de um texto, como reconhecer o assunto principal de uma reportagem ou localizar informações explícitas em um trecho de romance. “Essas informações nos entristecem muito porque fazemos parte desse momento da Educação Brasileira e temos consciência da nossa responsabilidade para mudar esse quadro. Trabalhar as Olimpíadas de Língua Portuguesa na escola é um passo fundamental para incentivar a produção escrita e a leitura de nossos alunos. Hoje fiquei conhecendo melhor o concurso da Academia Criciumense de Letras e certamente incentivarei meus alunos a participarem no próximo ano. A escola pública precisa mostrar e valorizar seus talentos”, finaliza a professora Eliane.
     A festa em que serão anunciados os vencedores nacionais da 4ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro acontece em 17 de dezembro na Capital Federal. Além dos 152 estudantes finalistas – são 38 de cada gênero da Olimpíada - e seus respectivos professores, estarão presentes familiares e representantes das escolas, num total de 771 convidados. Os estudantes e professores farão uma visita monitorada pela cidade acompanhados dos familiares e os representantes das escolas.  Oportunidade para conhecer os edifícios da Esplanada dos Ministérios, o Congresso Nacional, a Catedral e o Palácio do Planalto, sede da Presidência da República.
       A comunidade escolar da EMEF Padre José Francisco estará reunida na Associação Empresarial de Criciúma - ACIC - na quarta-feira dia 17, a partir das 16h, para assistir à cerimônia que será exibida pela internet.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

HOMENAGENS: OLIMPÍADAS DE MATEMÁTICA E DE LÍNGUA PORTUGUESA

 Os professores e alunos da Rede Municipal que se destacaram nas Olimpíadas de Língua Portuguesa e Matemática foram homenageados pela Secretaria Municipal de Educação de Criciúma.
Em especial a professora Eliane e a aluna Jéssica pela conquista das medalhas de prata e de bronze.
Quero agradecer aos meus alunos por terem me "premiado" na OBMEP. Esse certificado é a soma dos pontos que eles obtiveram.
.... estou procurando uma foto dos meus alunos para postar aqui... não esqueci deles...

sábado, 6 de dezembro de 2014

ALUNOS DE CRICIÚMA CONHECEM “A PEQUENA TOCA DO ESPÍRITO MAU”



Nesta sexta-feira (5/11) alunos do 8º e 9º Ano da EMEF Padre José Francisco Bertero conheceram a “pequena toca do espírito do mau” que é o significado do nome da ilha de Anhatomirim, em Florianópolis. Vislumbrando o mar da capital catarinense e protegidos pelas sombras de uma jaqueira carregada de frutos ouviram relatos históricos e lendas do lugar. Localizada na Ilha de Anhatomirim, a Fortaleza de Santa Cruz foi a principal fortificação do sistema defensivo da Ilha de Santa Catarina. Construída entre 1739 e 1744, suas edificações somavam um total de 2.678 m² de área construída, abrigando em torno de 60 canhões.
 CLIQUE NA IMAGEM PARA ASSISTIR O VÍDEOCLIPE
A professora de História e responsável pela organização do passeio de estudos, Lisiane Potrikus Martinello, justifica que “é importante ampliar a visão de mundo dos estudantes, dar condições para que compreendam melhor a importância das fortalezas na história catarinense e hoje eles tiveram a experiência de estar no cenário da Revolução Federalista.” A professora de Geografia Andréia de Araújo complementa “O comércio estabelecido entre o Brasil e o império português deve-se a essas conquistas territoriais marcadas por muitas revoluções, lutas e guerras. Por isso, há tantas fortalezas em nosso país. As terras ocupadas tinham que ser protegidas.
No século XVIII, Anhatomirim tinha como função principal controlar o movimento de entrada e saída das embarcações nas baías da Ilha de Santa Catarina. Já no século XIX, a Fortaleza de Santa Cruz abrigava um posto de isolamento ou de quarentena quando certas epidemias se alastravam pela região. A Marinha chegou a possuir uma Enfermaria Militar na ilha para atender aos seus militares. A Fortaleza também serviu como prisão federal e dezenas de ilhéus foram fuzilados e mortos, principalmente no episódio da Revolução Federalista (1893/94) no governo do Marechal Floriano Peixoto.
O aluno Gustavo Pickler Arnautz ficou impressionado com as construções antigas. “Gostei de ver o quartel da tropa, o paiol de pólvora, os canhões. A guia de turismo falou que se eu conseguisse arrancar uma bala de canhão que estava exposta, poderia levar embora, mas é claro que estava bem presa e ninguém tem força para arrancar”, conta Gustavo.
O aluno João Vinicius Backes Jovenal relata que está é a segunda vez que está visitando a capital catarinense. “A primeira vez que estive em Florianópolis foi o dia que nasci. Meu pai me trouxe de Içara dentro de uma ambulância porque eu tinha água nos pulmões. Hoje, eu gostei de tudo, menos de não poder pular no mar e nadar na Praia do Francês. Mas, entendo a preocupação da professoras e que isso já tinha sido combinado.”
O grupo de alunos não teve permissão para entrar no quartel da tropa porque há um projeto de restauração, paisagismo e comunicação visual na fortaleza, sendo executado. Também está previsto obras de acessibilidade na fortaleza como a instalação de pequenos bondes, elevadores e rampas para idosos e pessoas com deficiência física.

sábado, 29 de novembro de 2014

PADRE BERTERO CONQUISTA TRÊS MENÇÕES HONROSAS NA OBMEP 2014



     A EMEF Padre José Francisco Bertero comemora a conquista de três menções honrosas na 10ª OBMEP.


    Parabéns aos alunos Gabriela Fernandes da Silva, Pedro Nicolau Backes Jovenal e João Vinicius Backes Jovenal.
     A professora de matemática Ana Lúcia Pintro conta que graças às conquistas do seus alunos da escola de Criciúma e de Cocal do Sul ela também foi premiada pela primeira vez: “Receberei um certificado de homenagem e uma assinatura da Revista do Professor de Matemática. Agradeço aos meus alunos por esse presente.
     A OBMEP foi criada em 2005 e a região da AMREC demorou 10 anos para conquistar medalhas de prata e de ouro. Até a 9ª edição tinha conquistado apenas 7 medalhas de bronze. Somente nesta última – a 10ª edição – foi premiada com 3 medalhas de outro, 2 de prata, 15 de bronze e 87 menções honrosas (ano passado recebeu 106).
     O Estado de Santa Catarina foi premiado com 22 medalhas de ouro, 71 medalhas de prata e 190 medalhas de bronze. Um total de 2079 alunos catarinenses recebeu Menção Honrosa.